sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Eu achei que fosse certo me partir e fiz. Depois vi que era melhor ter continuado inteiro, juntei meus pedaços e colei de novo. Quando me olhei, meu rosto era um mosaico e em cada pecinha descobri que o amor e a felicidade independem do que você faz de certo ou errado. As vezes, o amor sempre esteve ali e se não estiver, chegará.

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Pedaços

Queria que a minha tristeza tivesse nome, assim talvez eu poderia esquecê-la. Queria que a minha tristeza tivesse rosto, assim talvez eu poderia matá-la. Queria que ela tivesse forma, fizesse coisas explicáveis e se apresentasse de forma mais expressiva que tirar o gosto da minha comida favorita. Queria que ao invés de tirar o ar dos meus pulmões ela me tirasse do ar de uma vez para que assim eu encontrasse descanso. Queria não carregar tanto peso, tanta falta, tanto sentimento que não é dor mas que há carência de palavra para explicar. Queria que fosse embora e já lhe mostrei muitas vezes a porta e ela nunca vai. Então, desfaleço aos poucos enquanto os meus sonhos se desmancham como papel na fria água.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Arthur

Mas eu fico puta com essa literatura que fala de pássaros azuis numa gaiola. Foda-se sua miséria, seu drama irreal de se prender nas amarras da sociedade. Sua nobreza fingida, sua paixão contida. Sua tentativa de arte que não passa de uma farsa! Você não está roubando direito! O problema do mundo não está centralizado no seu umbigo. Você não é uma máquina mortífera, você não é uma dinamite. Com certeza, não estará entre os grandes, na constelação ilustre que os resguarda. Eles morreram e foram lembrados. Seus heróis valiam, você não. Sua meia verdade me enoja, mas meu nojo também não é muito relevante. Aversão às suas tentarivas de mostrar que está tudo bem, as fotos que vemos indicam que não estamos mais vendo nada! Nada! Nada! Nada! 

Wild World

Tudo é vazio
Tudo está rolando para baixo nas barras de rolagem
Nos dedos convulsivos que deslizam sobre as telas
Procurando, absorvendo, opinando, odiando, amando
Um exército de pessoas iguais se vestindo de forma igual reclamando de outras pessoas iguais coexistindo
Até o som da batida, o tom de protesto
O céu é cinza, até o céu ficou cinza!
E o desespero esgana quem vos fala
Correndo por becos e vielas como um pesadelo mascarado
O perigo velado que ninguém ousa mencionar
A peste escurece nossa carne enquanto famintos estamos por algo que ainda não conhecemos
Tão clamorosos por amor e nem mesmo o experimentamos
Ilusão arquitetada por reis romanos e nossa própria arrogância
Vistam-se como homens crescidos! Limpem suas próprias calças borradas!
Ninguém há de vir por nós, ninguém nunca veio
Já basta
Não consegue lidar com o vazio da sua vida não é? Eu o perdoo por ter que se enganar


Wild World


Tudo é vazio
Tudo está rolando para baixo nas barras de rolagem
Nos dedos convulsivos que deslizam sobre as telas
Procurando, absorvendo, opinando, odiando, amando
Um exército de pessoas iguais se vestindo de forma igual reclamando de outras pessoas iguais coexistindo
Até o som da batida, o tom de protesto
O céu é cinza, até o céu ficou cinza!
E o desespero esgana quem vos fala
Correndo por becos e vielas como um pesadelo mascarado
O perigo velado que ninguém ousa mencionar
A peste escurece nossa carne enquanto famintos estamos por algo que ainda não conhecemos
Tão clamorosos por amor e nem mesmo o experimentamos
Ilusão arquitetada por reis romanos e nossa própria arrogância
Vistam-se como homens crescidos! Limpem suas próprias calças borradas!
Ninguém há de vir por nós, ninguém nunca veio
Já basta
 Eu o perdoo por ter que se enganar
Foi pra isso que veio sim
Esconda sua vergonha e venha comprar sua redenção
Hoje está mais barato que de costume
Nem santos nem profanos arderão no poço enlameado de seus próprios pecados
Nenhum vivente se privará da luxúria
Seus desejos serão saciados mas a pergunta que fica é: o que você vai fazer depois do orgasmo?


domingo, 14 de agosto de 2016

Drink Coke

Tomei o líquido negro com sede
Saboreei os minutos que determinariam o que era ou não trivial
Meus ossos tremiam de medo enquanto imagens passavam como um filme
Vi seu sorriso, aquela bela dama
Seus vestidos florais, seu perfume fresco
Sua vitalidade e energia proveniente de uma alma sonhadora
Eu era uma alma em agonia 
Minha vida não era das mais simples e eu não era a melhor pessoa
Não era digno de seu louvor e atenção
Vi o fundo da garrafa, o gosto enferrujado 
Era morte no fundo do copo?
Acho que não
Só mais uma garrafa de coca cola sem gás esquecida no fundo da geladeira
Só mais um dia sem cor longe das risadas da minha dama
Só mais um entardecer sem vermelho no céu pois todo o rubor universal está preso nos fios daquele cabelo
elysemelo.com

Design por Butlariz