sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Metas para 2018

Depois de uns 6 meses sem escrever nenhuma linha, cansei de balbuciar as palavras apenas na minha mente e voltei aqui para dividir algumas frases. 2017 foi um ano difícil. Ano de apanhar, de sofrer, de tomar decisões que vão influenciar o rumo da minha vida e de me abrir verdadeiramente para outro ser humano em forma de um relacionamento amoroso. Com certeza, nada fácil.

A escassez poética me acertou em cheio, assim como o ócio improdutivo e um sentimento desgraçador de ver a vida passar enquanto anseio por algo. Mas já desisti de buscar um sentido. E declaro que o Réveillon é minha data mais odiada. Como seres humanos projetamos no eu do futuro uma força que não tivemos no presente tampouco no passado. É uma tentativa de fugir do que realmente somos. Seres completamente vazios.

Vazios e burros. Por isso, eis minha lista de metas para esse novo ano, mais do mesmo, mas que com a fé que não habita em mim, vai ser mais feliz que o que passou.

1- Conhecer Macchu Picchu

Meu plano é conhecer ao menos um novo país por ano. Em 2017, conheci quatro (Inglaterra, França, Bolívia e Espanha).

2-Produzir conteúdo para internet

Faz tempo que passou o tempo dos blogs, mas quero me propor a escrever ao menos um post por semana pra cá. Quem sabe começar um canal no youtube, que é uma vontade antiga porém meio distante de ser posta em prática.

3- Parar de beber refrigerante

Independente de saber que essa merda é um veneno, as vezes sou vencida pelo hábito infernal. Meu objetivo para 2018, além de ter uma vida e uma alimentação saudável, é liquidar de vez a ingestão dessa bomba de corante e açucar.

4- Poupar dinheiro

A meta inicial é 3 mil reais. Como vou morar sozinha, receber dinheiro dos meus pais enquanto estou na faculdade, pretendo não gastar nadinha além das contas e de uma eventual saída de final de semana. Talvez até arrume um emprego.

5- Fazer natação (e não desistir no meio do caminho)


domingo, 1 de outubro de 2017

Eu lembro de como você sorriu quando eu te pedi um beijo. Rua vazia do bar descolado com música barulhenta tocando e um banheiro meio subterrâneo, as cervejas derramaram um pouco na sua jaqueta de couro quando você acotovelou as pessoas para sair do bar. Eu me senti a garota mais linda do lugar. Você era só mais um idiota com os óculos escuros mais incríveis.

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

30 antes dos 30

Muita gente faz essa lista de realizações e coisas que querem conquistar antes dos significantes 30 anos. Pra mim, a coisa mais importante do mundo é viajar então minha lista vai ser composta dos 30 lugares que quero conhecer ou visitar de novo antes dos 30 anos!

1. Santiago - Chile
2. Buenos Aires - Argentina
3. Londres - Inglaterra
4. Barcelona - Espanha
5. Madrid - Espanha
6. Nova York - EUA
7. Los Angeles - EUA
8. Tokyo - Japão
9. Roma - Itália
10. San Juan - Porto Rico
11. Cancún
12. Jericoacoara
13. Fernando de Noronha
14. Tailândia
15. Camboja
16. Atenas
17. Cusco
18. Cairo
19. Jerusalem
20. Turquia
21. Amsterdam
22. Alemanha
23. Dublin

sábado, 26 de agosto de 2017

a morte natural e trágica acidental e toda essa obsessão nada mais significam que morrer no auge sendo a promessa que nunca se cumpriu. seria a forma poética de dizer adeus para a vida, já que é melhor não ser um deus que morrer após viver uma vida longe atribulada de decepções e fracassos. nos somos todos coisas quebradas. andamos por aí como se esperássemos por algo, como se nosso destino estivesse escondido atrás de uma porta ou como se fossemos entender o propósito ao cruzar uma esquina. mas não há nada. nada além da dor, do ódio e do desespero. nada além da obscuridade da alma humana e essa história é um resumo do que se acontece quando um homem decide abandonar as ilusões e viver a plenitude de sua existência. a minha história, muitas vezes escandalosa e horrível, mas certamente digna da sua atenção. não há mentira, não há mentira em minha perversão.

essa é a razão da vida. nos vivemos para morrer. e por que não executar o divino caminho que trilhamos todos os dias, com todos os seres?


Como as coisas podem mudar tanto tão rápido? Será que não estamos num limbo de fracasso, onde nada novo pode ser criado, porque tudo já existe inclusive textos similares a esse em milhares de idiomas diferentes? Será que não é tudo um terrível pesadelo? Apenas estamos todos querendo negar desesperadamente que não temos nada. Absolutamente nada. Nenhum Deus, nenhum futuro, nenhum objetivo em comum.
Nada que nos prenda ao tempo, nada que possibilite que transfiramos nossas emoções e memórias para algum lugar na eternidade. Nada que nos garanta que manteremos a consciência após à morte. E morte. Será ela uma boa e velha amiga que nos levará ao nosso lugar feliz? Algum lugar feliz e justo para todas as almas, afinal, não é essa a base de toda nossa filosofia e civilização judaico-cristã? E se Cristo, ou Platão, jamais houvessem existido? Que ideia teríamos? Não cabe a mim destruir pés de barro. Tudo já foi feito e eu nada de novo ou produtivo tenho a acrescentar. Voltando a indagação que me incomoda, o humano, o que diabos é um humano? Se você olhar no espelho friamente analisando suas formas, vai se reconhecer um alienígena. Todos os padrões de beleza se esfacelam perante tamanha estranheza.
Por que, mesmo nas mais isoladas civilizações, temos agarradas perguntas existenciais sob nosso couro? Que droga de brincadeira é essa que fazem ou que aconteceu por acaso? Por que minha alma quer voar como uma andorinha e meu corpo me prende ao chão? Do que é constituído e onde posso apalpar minha razão? Essas perguntas me torturam mas poucas coisas me deprimem mais que saber que milhares de vocês ignoram e constroem em volta de si edifícios odiosos de futilidade. Dramatizo eu tudo?
Reconheço minha arrogância porém não busco a redenção. Não por essa causa, não por me prestar a pensar e a construir um mundo novo. Busco redenção por ter o mal dentro de mim. Todos temos, eu só resolv abraçar. Nem em coletivos políticos ou trabalhos voluntários. Sempre preferi pagar pra ver o que minha natureza poderia me proporcionar e ela tem me dado ciclos intermináveis de loucura e prazer. É mais poderoso que qualquer coisa. Quando eu enfiei o triturador de gelo na minha esposa eu tive uma ereção. Ela estava incrivelmente mais bela, frágil e angelical. O ferimento em sua barriga fazia o sangue fluir devagar. Fizemos sexo pela última vez. Eu ainda estava dentro dela quando ela morreu. Foi o momento mais inspirador e gratificante da minha vida e desde então tenho tentado reproduzir essa sensação com todas as outras colaboradoras. Ninguém nunca chegou a altura, então continuo tentando.  
Aceitar que tudo acaba, desgasta e deteriora com a passagem dos anos. Esses corpos irão desbotar como uma foto antiga, o que faço a eles é eternizar na memória de pessoas por todo país. Você acha que não me importo com eles? Que escolho colaboradores aleatoriamente e que não tem valor? Muito se engana, Alexandra. Eles são a matéria prima necessária e separada para minha arte desde que nasceram. São parte da minha linda e imaculada criação.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Nos dias mais escuros, seu sorriso é a luz que me falta em meio a desesperança. Eu não preciso fingir e me sinto totalmente ridícula quando tento projetar alguma imagem que você já percebeu não ser real. Eles dizem que precisa ser avassalador e tirar a calma, mas a sua ausência me queima mais. O retorno de sonhos apagados e longínquos, embora o tempo ainda tenha que correr a fazer boa parte do trabalho que a gente precipitou.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

5 motivos para agradecer

1. Família
2. Ter uma cama quentinha pra dormir
3. Conhecer o amor da minha vida
4. Ter saúde
5. A capacidade de ter sonhos

domingo, 20 de agosto de 2017

Feels like the end


Sempre me perguntei se sabia cantar
Na verdade, só sei amar

Sempre me disseram pra temer
Na verdade, nunca consegui parar de te querer

Sempre me disseram pra não ir
Na verdade, nós só queríamos sorrir

E te tendo, nesse momento, paixão
Quero brincar de casinha, segurar tua mão

Chorar? Inevitável. Sofrer? Opcional.

Partir. Um ato. Desolação. Conviverei.

5 motivos para estudar Medicina na Bolívia

preço da mensalidade
moeda mais valorizada
aprender espanhol
sem vestibular
desenvolvimento pessoal
novas culturas
facilidade maior para viajar

Party's over

A vida não é mais uma grande festa, recheada de oportunidades pulando da tela do computador e de convites para lugares cheios de bebidas e música. A vida não é mais um filme, onde todos os problemas desaparecem só de cortar ou pintar o cabelo. A vida não é mais uma idealização, o amor é real e, como tudo que existe, tem dois lados.



A vida adulta está na porta. A pressão para definir a profissão passou e eu fui atropelada por escolhas que talvez não sejam completamente de minha vontade agora. Seria mais fácil se eu realente soubesse. Mas sigo suspeitando que nesse mundo não existem grandes certezas e que todos esses adultos mais experientes que eu também atiram no escuro.

Eu vou embora. Dessa vez, não de mim. Vou embora da cidade que nasci e que tanto odeio e amo (às vezes). Ficarei 6 anos fora e sei que muita coisa vai mudar. E eu vou mudar também. Embora eu esteja morrendo de medo de mudanças terrivelmente irreversíveis, me preparo para esse momento há mais de 10 anos.

Mesmo que não fosse agora, eu iria embora. Pois não sou do tipo de mulher que nasce, vive e morre no mesmo lugar. Eu quero muito mais. O impulso místico de conhecer, arriscar e explorar são a unica coisa que escuto agora. Existem muitas outras energias por perto, aquelas que tentam minar a coragem. Outra coisa que me motiva é a vida do meu pai, tão dedicado em construir pontes para o meu sucesso, que não para mesmo as vésperas de completar 69 anos.

Eu vou, mas volto. Agora que tudo mudou e que eu tenho que tomar conta de mim e trilhar meu caminho. Sérias decisões. Deus queira que estas sejam as mais sábias. E se der errado, sempre há uma segunda chance para quem sonha.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Eli

Minha alma decadente, vítima de uma guerra perdida após uma batalha contra as lâminas do destino e das escolhas. Minhas costas cansadas por se curvarem perante ao inesperado, meus olhos ardidos e afundados em lágrimas. Eles me perguntam o que aconteceu e nem uma palavra sequer eu consigo proferir. O que era o alimento da minha alma virou pesar, tudo é pesar. Pelas minhas narinas o ar rarefeito já não cumpre seu caminho como deveria, tudo é difícil, até a tarefa mais natural e inerente ao ser. E embora eu veja um mundo novo recheado de oportunidades, sei que nunca vou fugir do meu próprio corpo. Nunca serei a outra pessoa que pensei construir há pouco. Não posso ficar e amar você. É muito menos do que eu deveria ser. Não posso partir do meu eu e isso é um dilema arrastado há centenas de anos. Ser parte disso, da dádiva do sentir como se eu estivesse levando um beliscão pelo lado de dentro onde tudo é desespero... Onde tudo já existe e muito ainda falta.

terça-feira, 27 de junho de 2017

Como parar de roer unhas



Garras

Eu não me lembro de um dia na minha infância e adolescência que eu não tenha tido vergonha das minhas mãos por roer unhas. Além dos olhares de reprovação, ainda caçoavam dos meus dedinhos gordos e diziam que mesmo que eu parasse de roer, minhas unhas nunca seriam bonitas. 

Para uma mulher vaidosa, que é apaixonada por moda e beleza, as unhas são um detalhe importante. Na verdade, conheço poucas mulheres que não se importam com a aparência das suas. Nós, brasileiras, temos um jeito característico de lidar com a manicure até mesmo na forma que a cutícula é tratada.

 Fazemos da nossa manicure nossa fiel escudeira. Trocamos experiências, compartilhamos sonhos e participamos de diálogos intermináveis sobre a vida. Na semana passada, conheci uma cantora, mãe e manicure. Dona de um crespo poderoso e protagonista de trajetória, essa super heroína moderna - ela se divide entre o salão, os palcos e a maternidade independente - me inspirou a lutar pelos meus sonhos. 

Hoje, embora o estigma de uma mulher que se preocupa com as unhas é ainda o de uma mulher fresca e fútil, enxergo com um pouco mais de doçura meu zelo e o zelo de tantas outras. Para mim, minhas unhas compridas significam minha resiliência. Minha luta contra a ansiedade que me destruiu por anos. Minha sensualidade e identidade restauradas. Minhas unhas são garras. Minha garra é forte. Assim como a moça que as pintou da última vez. 

Como parar de roer unhas?

Nenhuma dica milagrosa, tipo esmalte com gosto ruim, deu certo pra mim. Eu simplesmente decidi tirar do papel a resolução de ano novo que eu tinha desde 2008. Embora dicas mágicas e milagrosas não tenham funcionado, algumas coisas valem ser mencionadas.

Decida parar. Não pelos outros, não por aparências. Por você, por amar você mesma. Por saúde física e mental.
  • Não desista. Lixe-as redondas quando estiverem com um comprimento possível. Isso evita que elas lasquem na lateral. Funcionou para mim.
  •  Controle sua ansiedade. Identifique as causas dela. Você não é viciada porque gosta do sabor, é um problema real que acarreta complicações mentais e físicas.
  •  Se divirta. Pinte-as de cores que você gosta. Exorcize a culpa de esquecer que parou de roer por um segundo. Também é sobre beleza e bem estar. 
Espero que você tenha sucesso nessa empreitada! Tô a disposição para conversar

Quebrando o tabu

Quinta feira (22/06), mais de 20 pessoas morreram em uma batida envolvendo um carreta, um ônibus, uma minivan e uma ambulância. O acidente ocorreu na BR-101 em Guarapari - ES. Uma sobrevivente do acidente, disse que enquanto pedia ajuda, as pessoas só filmavam ou tiravam fotos. Seu marido faleceu implorando por criar os filhos naquele dia.


 (Foto: acervo pessoal. Ouro Preto - MG. 2014)

Enquanto pessoas morrem e suas carnes são expostas por likes,  poesia é produzida artificialmente nas imagens centenas de vezes compartilhadas no Facebook. Retweets com frases frívolas de efeito viralizam. Vidas comerciais construídas por agências de publicidade são colocadas na vitrine impecável do Instagram. Vociferam-se opiniões de ódio e esvaziadas de significação e ganho real para o debate, sob pretexto de "somos injustiçados socialmente". Ignora-se que a vida toda é uma luta. Pessoas fracas. Temem falar de temas tão inevitáveis como a morte mas depressão e suicídio se tornaram hype. Falta uma boa dose de realidade nessa gritaria. Menos desferir socos contra qualquer pessoa diferente, menos autodefesa quando não há agressão.

 Se não gostou, muda! Você não precisa lidar com os problemas, as dificuldades, os erros, os medos, os pecados e aqueles instantes de desespero e lágrimas que caracterizam a grandeza do espírito humano porque a grandeza não é confortável. Não é comercial. Não é lucrativa nem positiva good vibes. Crescer dói. Encarar-se sem corretivo e base no espelho dói. Cuidar da própria carapuça e lixar as pontas ásperas do nosso caráter machuca. O alastrar de "você não precisa encarar isso se não quiser" transformou toda uma geração em gente mimada. Ironicamente, quem é mais "desconstruído" é mais pascácio. A doutrina da facilidade e dos direitos ao invés da dedicação, do foco e do esforço pessoal vão nos destruir. Desconstruir. A pequenez é louvada.

A liberdade falsa, floreando podridão e mentiras, nos aprisiona muito mais que a obediência. Quebramos tabus? Eu acho que não. Criamos vários novos enquanto se cacareja por ai que as opressões estão sendo esmagadas. Cadeias imobilizantes surgem para avoidar a expressão da opinião de forma destemida e irreverente, criminalizando a individualidade. Maldito seja todo que queira regular minha palavra. Se livros mudam pessoas, que as pessoas não mudem ao lerem livros que tranquem em si toda autenticidade. Que os livros não tornem mulheres e homens em grandes covardes. Que a paz não seja uma desculpa para o não confrotamento de ideias tortas e tiranas para tudo que há de aproveitável em nós.

William Faulkner em letras garrafais. EU ME NEGO A ADMITIR O FIM DO HOMEM.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Teresa Cristina canta Cartola

Em meio ao desespero de encarar o reflexo da minha alma perdida e das circunstâncias nada favoráveis para quem ama debates políticos e pluralidade de opiniões, chorei. Chorei amargamente, temendo que terminasse sozinha e sei que sozinha eu sucumbo e não tenho a coragem que recebo através do amor incondicional dos meus amigos.

Julgam-me, ah, eles estão rápidos em apontar sem conhecer. Não ouvem, nem um pouco, opiniões contrárias. É crime ter opinião. É socialmente ridicularizado aquele que não é marxista, que não dá a foda pra escola de Frankfurt, que destrói as falácias estatais a respeito do imposto. É crime exercer a liberdade. Para eles. Eu morreria pela liberdade. Daria minha vida para que outros fossem verdadeiramente livres, inclusive para discordar de mim. Não sou movida por ódio ao fulano tal, sou movida por justiça. Não me calarão. Jamais.

Lágrimas e maldições depois, dormi e acordei antes do sol nascer. Desde que o samba é samba, ele já nasceu em mim. A chuva bate levemente na janela, é manhã de sexta no meio de um junho frio. Mas meu coração se enche de calor com a voz de Teresa Cristina cantando canções consagradas por Cartola.

"Hoje, todos são contra mim..."


Num Brasil conturbado e propositalmente polarizado por movimentos políticos e sociais, ouvir uma Portelense cantar sobre a Mangueira (minha escola) e comentar com elegância que está cansada de tanta briga e quer  gentileza é um alívio. Não estou maluca. O melhor álbum de 2016. A música sempre foi nesse país, um símbolo de resistência contra os desmandos do Estado inescrupuloso que temos, contra o cinismo, contra discursos cegos e contra a falta de questionamento.

Teresa é sonho e minha mais recente descoberta. Já conhecia algumas músicas, mas só a "conheci" hoje ao ler parte de sua biografia e algumas entrevistas. Eu quero ser como ela quando crescer. Tenho muito o que crescer. Por agora, obrigada pela paz e pela calma que me transmitiu. Se sonhar é possível nesse sufoco, um dia cantarei um belo samba.

Não gostou, muda!

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Aniversário

Em três dias, faço dezesseis anos. Não tenho nenhuma experiência em fazer aniversário já que ele só acontece uma vez por ano e passa tão rápido que acabo esquecendo, nos outros trezentos e poucos dias, qual é a sensação. Ano passado, alguns abraços e um almoço especial e no fim de semana depois uma festa. 
Por que ganhamos presentes nessa data tão subjetiva? Você é parabenizado porquê nasceu ou porquê ainda não morreu? Secretamente, sustento a ideia de quê as pessoas o fazem em memória aos que já se foram. Enquanto continuamos vivos e resistindo ao tempo, honramos os entes queridos que já não tem mais as mesmas "felicidades".
O que, de fato, é a morte? Grandes homens já tentaram a definir. Muitos já se encontraram com ela. Minha imaginação me conta que a Morte é como uma prostituta em uma noite fria do inverno europeu.
 Tudo é sem cor, até que pelas esquinas de uma rua qualquer da grande cidade cosmopolita chamada Vida, ela cruza seu caminho. A dama te conduz pelas vielas até seu castelo quente e sua alma se enrosca com ela na cama noite adentro. 
Celebraremos a vida, todos os anos, até o último aniversário. A estadia no castelo da sedutora dama da noite de frio não termina nunca. Uma vez vivo, morto se tornará. Uma vez morto, vivo nunca mais virá ser. 
Até que se prove o contrário. 

Escrito em 03/08/14

sábado, 10 de junho de 2017

Venda de Garagem

Aviso aos navegantes: Elyse Melo não desistiu do destralhe! Muito pelo contrário, passei os últimos 20 dias meio ausente do blog porque estava organizando a 'Venda de Garagem'. Como o nome mesmo já sugere, organizei uma venda para amigos e vizinhos e vou vender roupas e objetos interessantes na garagem da minha casa. Além de ter as coisas do meu guarda-roupa, influenciei minha família e também amigos próximos a participarem com seus itens. 

Com o sucesso da primeira edição da Venda, já comecei a organizar a segunda edição. Com temática julina, ela vai acontecer no dia 8 do próximo mês, unindo forças com pequenos empreendedores locais e com a incrível Dani Almeida, tatuadora que vai participar do Flash Tattoo.

Para começar o destralhe...

Para começar, leia a Intervenção, onde eu falo um pouco sobre Minimalismo. Calma, não é uma seita. Garanto que vai te ajudar, como me ajudou. É essencial ter em mente que ter muitas coisas não vai te fazer feliz. O mundo moderno dita que ser feliz é ter muito conforto material, mas isso não faz sentido. A verdade é que não vamos levar nada dessa vida, exceto o que somos. Não levamos nossas casas, carros, roupas e milhares de sapatos para o outro lado. No fim, tudo que vai importar é o que você construiu por dentro. Sua bondade, caridade e caráter. Os momentos bons que você se alegrou e os ruins quando você chorou e aprendeu com sua dor. Coisas não são pessoas, não ame coisas. Use-as. Ame as pessoas. Você não consegue amar os dois ao mesmo tempo e quem sofre sempre são as pessoas, porque elas têm sentimentos. É constatar o óbvio? Sim, sempre será necessário repetir isso até que realmente entendamos o significado dessas palavras. Tudo passa, cabe a você decidir como tudo passará. Como você age para aproveitar o máximo de sua fortuna (acaso) na sua vida?

O que posso vender?

Basicamente, tudo que está em bom estado e que você não usou no último ano. Se você seguir uma ideia de closet compacto, que é o que eu indico, tudo fica mais fácil. Eu comecei um projeto de apenas 33 itens de vestuário por 3 meses, mas esse número pode variar. Com a autoimposição desse limite de peças, eu encontrei liberdade. Sei o que tenho e o que preciso comprar, assim economizo dinheiro e tempo.  

Nesse post, eu expliquei mais sobre o Project333 e sobre as categorias de roupas para guardar, doar ou descartar. Você pode considerar as roupas de doar, como vender e também reavaliar a pilha de guardar. 

Me siga no Instagram para novidades diárias e avisos de novos posts! 

domingo, 4 de junho de 2017

Desejo

Eu tenho medo de algumas frases e outras eu prefiro não proferir. A iminência da perda me apavora e a mínima possibilidade que existe de você ir embora é algo que me devora, desespera e exaspera. Ver você partir vai me deixar sem ter um porto seguro para ir após uma tempestade no alto mar turbulento que é minha alma. Não subestime o poder da sua presença, a profundidade em que suas raízes estão fincadas em mim. Embora eu passe grande parte do tempo me fazendo de mulher forte e independente, eu sou como um bebê que chora a noite toda e não tem mãe para acudir. Minha lágrima é ardida e meu desespero é suado, em face da completa falta de certeza em todas as coisas. Você pode ser a minha certeza? Eu não aguento mais ouvir que tudo passa! Eu não quero que você apenas passe! Não quero que seja um beijo, não quero que seja uma transa, não quero que seja um dos meus casos. Quero que seja meu. Oh, deus do céu, desde quando tudo sobre o amor parece tanto sobre posse? Eu quero que seja livre mas que saiba exatamente onde pousar à noite. Que meus seios sejam sua cama macia e que meus cabelos sejam a fonte do perfume que você procura no seu travesseiro. Que minha voz seja a cantora da sua canção favorita e que meu corpo seja o lugar em que você sempre deseje estar. Que minha alma seja sua habitação e seu lugar seguro, que você entenda o quanto eu estou com você em todos os lugares ainda que eu não esteja fisicamente. Ah, menino... Se você soubesse quantos rios saíram do mel...

quinta-feira, 1 de junho de 2017

A importância do Livro

"Mas nós precisamos de livros que nos afetam como um desastre, que nos magoam profundamente, como a morte de alguém a quem amávamos mais do que a nós mesmos [...]. Um livro tem que ser como um machado para quebrar o mar de gelo que há dentro de nós. É nisso que eu creio."
Franz Kafka




 Como Kafka acreditava, também digo que precisamos de mais livros como esse, que nos afetam como um desastre e que nos magoam profundamente.

Scars

Eu sou uma criança da noite apaixonada pelos primeiros raios do sol da manhã.
 Estou tentando começar algo novo. 
Como poderia tamanha escuridão se encantar pelo brilho dos seus olhos? 
Eu não sou eu mesma. Não mais. 
Desde coisas banais, como gostar da cor rosa e ouvir músicas ruins 
Para castigar meu paladar musical apenas por diversão.
Decidi parar de fumar e escolhi um emprego que me deixe feliz
 (e não com vontade de cometer suicídio aos 25).
 Sabe, suicídio era uma possibilidade até conhecer você. 
E eu era tão aplicada em adoecer 
E me matar que até tentei te mandar embora. 
Você foi e todos os meus abismos 
Chamaram outros abismos e meu mundo nunca foi tão infeliz e olha que eu já passei por diversos níveis profundos de descontentamento e tristeza. 
Há pouco, eu observava St. Paul’s Cathedral, em pé na chuva, desejando pegar um resfriado tão forte que me levasse.
Little Scorpion conheceu o amor
E isso rompeu com todas as concepções e impressões que tinha 
Não é como nas expressões artísticas
É se perder para se achar
 Um paradoxo e um misto
De ternura e raiva profundas.
 É latente mas é estável e quando você entrelaça seus dedos nos meus 
Sei que vai durar pra sempre.
Mesmo que eu já te odeie no minuto seguinte.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Argila para pele oleosa




Olá, as duas que eu escolhi para testar essa história de argila foram a branca e a verde. Me surpreendi e adicionei na lista de desejos a preta, que também é conhecida como lama vulcânica. Minha experiência com elas, depois de mais de dois meses usando, é totalmente positiva. A pele fica visivelmente mais macia e sequinha após o uso de qualquer uma das duas.

Benefícios


Os benefícios da argila verde são: absorver a oleosidade, ação anti-inflamatória, propriedades antissépticas, revitalizante e cicatrizante.
Já os da argila branca são as mesmas da verde, com o adicional de ajudar a suavizar e clarear manchinhas. 


Onde comprar


Eu comprei a granel, por R$2,40 cada saquinho, no Mundo Verde, que tem em vários lugares do país. Pelas minhas contas, 200g dura mais de 20 aplicações. Existem versões industrializadas, até mesmo 100% orgânicas, como por exemplo essa. Quando meus saquinhos acabarem, vou investir numa dessa, que apesar de ser mais cara, é mais segura e tem uma embalagem melhor que sacos plásticos. 


Como usar


É só misturar com água filtrada ou termal, num potinho não metálico, até virar uma laminha. Fique com ela até secar e lave com água. Não deixe ficar repuxando, porque pode ressecar demais a pele e aí temos o efeito rebote, maior produção de óleo para compensar a "secura". Após lavar, passe um hidratante para pele oleosa ou acneica. 



Existem outros tipos de argila, mas que eu ainda não testei para poder indicar para vocês. Espero que tenham gostado, namastê!

Skincare: Pele Mista e Oleosa


Cuidar da pele é divertido

Imagine que seu mais novo hobby é pintar. Você compra um monte de pincéis e tintas diferentes, sua mente está cheia de ideias. Empolgada, faz um desenho com tinta amarela. Ih, não ficou legal. Então, você joga tinta azul, depois tinta rosa… De repente, tudo que está na sua tela não reflete sua ideia inicial. Você tem uma espaço de criação limitado e sobrecarregado de pigmentos.
A tela em branco é como se fosse sua pele, seu rosto, seus poros. E, claramente, a maquiagem é toda a tinta jogada nela. Ficamos tão empolgadas com produtinhos e lançamentos que nos esquecemos da base real por trás da base cosmética: a pele. Se ela estiver mal cuidada, não tem primer da Smashbox que dê jeito!
“Ah, isso é besteira!”, você deve estar pensando. Eu também pensava assim, até resolver tirar a prova por mim mesma e estabelecer uma rotina de cuidados com a pele. Para montar uma que supra suas necessidade, é importante conhecer seu tipo de pele. Hoje, inauguro essa série de posts sobre tipos de pele e os seus tratamentos adequados no blog. Iniciaremos falando de pele mista e oleosa, porque é o tipo de pele mais comum nas brasileiras (e é o meu tipo!).
Esse é um guia para você, mulher de pele oleosa ou mista, que deseja dar um jeito de uma vez por todas nos cravos e espinhas e naquele brilho irritante que insiste em aparecer. Cuidar da pele deve ser um momento diário de aprendizado. Quando você se olha no espelho, de cara limpa, compreendendo sua beleza. Sem críticas ou apontar defeitos, apenas amar seu corpo e cuidar dele.

Acne na Adolescência

Nessa época, o corpo está sofrendo muitas mudanças e muitos hormônios estão presentes. É normal ter espinhas nessa fase, mas se seu problema de acne for muito incomodo ou profundo, procure um médico dermatologista ou um ginecologista. No meu caso, além da oleosidade exagerada, eu tinha problemas de ovários micropolicísticos. Minha acne era persistente para os tratamentos tópicos que eu administrava ocasionalmente, uma das causas era o desequilíbrio hormonal.
Não se desespere! Sofremos muito com o julgamento e a vergonha de ter uma pele castigada com as espinhas. Mas quem nunca teve uma espinha? É importante refletir que a aparência não te faz pior ou melhor que ninguém e que esse momento da sua pele é passageiro, todo problema tem solução. 
Abaixo, você vai encontrar uma lista de produtos que estou usando na minha rotina atual. Pra montar seu kit de produtos você precisará de quatro básicos: sabonete ou gel de limpeza, esfoliante, hidratante e protetor solar. Sabonete, hidratante e protetor são usados todos os dias. Esfoliantes apenas 3 vezes por semana.


Linha Clearproof da Mary Kay





Nunca havia testado nada da marca até esses três produtos ótimos. O primeiro da esquerda pra direita, é o gel de limpeza. O segundo, uma loção refinadora de poros que deve ser usado 3x por semana. Em seguida, um secativo para espinhas. O resultado geral dos produtos é uma pele praticamente nova em pouco tempo e diminuição do aparecimento de espinhas. Foi milagroso pra mim. É importante lembrar de SEMPRE usar filtro solar quando se faz um tratamento baseado em ácidos! R$239 o combo.

Sabonete Líquido Dermotivin Salix




Esse produto tem aproximadamente um ano e meio de uso (quase) diário e ainda está quase pela metade. Com certeza, rende muito. A pele fica sequinha e o ácido salicílico luta contra o aparecimento das terríveis espinhas! R$70.

Vichy Normaderm Skin Corrector e La Roche-Posay Anthelios Airlicium




O Skin Corrector é aquele hidratante em gel perfeito para ser usado sozinho ou antes da maquiagem. Não deixa nada oleoso e ainda atua clareando manchinhas e segurando a oleosidade da pele. a duração do produto é absurda, já que uma gotinha espalha pro rosto todo generosamente. O meu acabou ontem e por mais que eu ame, vou testar um novo. Preço médio de R$90.
Anthelios é tudo que um filtro solar para pele oleosa tem que ser. Sem brilho, em gel, toque seco, fator de proteção 70. Com o adicional de conter água termal de La Roche-Posay na fórmula. Também disponível na versão com cor, que facilita muito no dia a dia de quem adora a praticidade de juntar tudo num produto só. Minha única observação sobre ele é que depois que você dá aquela primeira espalhada, ele fica difícil de espalhar. Acredito que seja porque as bolhinhas de ar se desfazem, já que a proposta dele é essa mesmo. Sei lá, ele é ótimo exceto por isso, mas nem me incomoda tanto a ponto de abandonar. R$80.

Eau Thermale e Loção Micelar Avène




Motivos de força maior me fizeram abandonar minha águinha termal da Vichy (spray quebrou) e resolvi testar essa. Estou amando! Ok, é aqui que a louca da Água Termal ataca. Eu sei, é só água. Uma água que faz maravilhas! Hidrata, rejuvenesce, recupera. Tem dias que nem hidratante eu passo, sabe quando você sente que sua pele não está pedindo mais produto, só descanso? Ela é perfeita pra isso. Custa cerca de R$60 a embalagem de 150ml.
A loção micelar foi uma surpresa depois da minha decepção com um gel micelar que nem vale a pena mencionar. Ele tira a maquiagem de forma suave e sem irritar a pele, é incrível. Essa embalagem mini veio com a água termal, mas o preço da embalagem de 200ml é R$60 e a versão viagem, de 100ml, R$34. Quando essa amostrinha acabar (dura muito), vou correndo garantir outra.

Esfoliante suave anticravos Clean & Clear e Exfoliating Face Scrub da Boots





O primeiro produto da imagem, é um esfoliante de uso diário e efeito “levinho”. Deixa a pele livre de cravos, macia e lisinha. Custa cerca de R$25, facilmente encontrado em farmácias e perfumarias. É uma ótima opção para uma limpeza rápida, mas te falar, não compraria de novo.
O Exfoliating Face Scrub, da famosa farmácia britânica Boots, é um esfoliante mais “potente”. Composto de chá verde e hamamélis, promete deixar a pele mais suave e uniforme. O preço? No máximo £5.


Himalayan Charcoal Purifying Glow Mask da The Body Shop




Nas minhas andanças de beleza por Covent Garden, no último inverno, adquiri um cartão fidelidade da The Body Shop londrina. Essa máscara custou £17, um preço bem salgado se você converter para o real. Ossos do ofício, a máscara é maravilhosa! Contém Bamboo Charcoal do pé do Himalaia e chá verde direto do Japão! Minha experiência tem sido ótima, sempre que uso sinto minha pele revigorada. Infelizmente, da última vez que eu chequei o site da marca no Brasil, ela não estava disponível. Existem outros tipos, mas não o Himalayan Charcoal, uma pena. A dica é válida porque o site europeu entrega no mundo todo e também porque essa linha de máscaras existe no Brasil. Embora, não seja desse "sabor", hahaha.


Ufa! Depois disso tudo, desejo um bom dia pra você e uma nova era no seu tratamento de pele. Namastê!

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Cidade do Pecado




Agradecimentos
Racionais Mc's
Mv Bill
Mc Cidinho
Anitta
Muheres e homens negros na resistência
Sulamita Carter
Justin Simien (criador da série Dear White People)
Raphael Lima
J.K. Rowling, por me ensinar que todos somos iguais, independente da nossa cor da pele, dinheiro e lugar de nascimento
Maria das Graças, minha babá e empregada doméstica por anos
Coruja Bc1
Skeeter
Negra Li
Gustavo Lima Domingues, pelos diversos choques de realidade ao longo da vida

sábado, 27 de maio de 2017

Imperial War Museum London: Holocausto

Em Londres, num um dia de aventuras sozinha, fui ao outro lado da cidade visitar o Museu Imperial da Guerra. Com um andar todo destinado a exposição de relíquias do holocausto, meu coração foi tocado e moído pelo que vi, li e ouvi.

O clima era de máximo respeito, silêncio e nenhuma foto sendo tirada. Símbolos e uniformes nazistas estavam expostos. Nas paredes escuras, palavras brotavam para explicar a narrativa completa da Segunda Grande Guerra Mundial. Documentos da Gestapo, as estrelas que eram costuradas nas roupas, identidades de espiões que entregavam judeus e seus esconderijos. Tudo estava cuidadosamente exposto para qualquer um que quisesse ver.


Havia uma maquete enorme do campo de concentração de Auschwitz. Me imaginei naqueles trens. Eu era uma pequena criança judia, passando fome e frio, indo para um lugar mal. Uma simples e indefesa criança que, por causa de minha etnia, deveria pagar.

Vi os milhares de sapatos num expositor de vidro do museu. Encostei no vidro, tentando reconhecer o menor traço de alguém que já tenha o usado. Pensei no quanto ele teria gostado daquele sapato marrom que agora se encontrava sujo e despedaçado. Aquele que pediu de presente e que os pais lhe deram com muito esforço. 70 anos depois, exposto como um retrato da maldade humana sem escrúpulos que mata por ganância. Pude ver a face de 40 milhões de vidas perdidas que pairavam na minha frente. 

Imaginei as histórias individuais, os casos de amor, os sonhos e planos. Tudo isso foi tirado deles. As músicas que nunca foram compostas e cantadas. Os livros que poderiam ter sido escritos. Os líderes políticos que poderiam ter feito o bem e que foram brutalmente assassinados pelos nazistas e por Adolf Hitler. Mas, também, imaginei aquela criança que seria um simples dono de mercearia anônimo. Ele faria a diferença na vida de centenas de pessoas, doando um pouco do seu pouco quando via alguém em necessidade.

Avistei o pijama listrado de azul e branco. Bem fino, surrado e sujo. O frio da Alemanha sobre o corpinho fraco das crianças, por comer pouco ou nada passando por isso, sem merecer. Olhando nos olhos dos seus pais e não encontrando resposta para tamanha dor e sofrimento. "Por que somos tratados assim, papai? Não cometemos crime algum. Nenhum dos nossos amigos falou nada quando nos levaram de casa". 


Naquele ponto da visita, minhas lágrimas já não estavam contidas. As pessoas do meu lado olhavam cuidadosamente cada outra vestimenta naquele salão. Assombradas com que foram capazes de fazer com outros seres humanos. Muitos também se emocionavam. 

Qual é então o benefício de termos museus para lembrarmos do Holocausto? Há um tempo, ouvi dizer que era de mau gosto. Mas se você já esteve numa atmosfera de imersão como a que eu estive e tem um pingo de sensibilidade, tenho certeza que entende o objetivo. O objetivo não é cantar vitória sobre os alemães e lembra-los sempre do que fizeram ao sangrar os corpos de inocentes em busca da supremacia nacional. O objetivo é jamais apagar da nossa memória o que a polarização e o radicalismo são capazes de fazer. 

Não é como se a Inglaterra estivesse isenta de sangue e mortes em sua história. Na verdade, grande parte das nações e instituições tem uma trilha de sangue em seu passado. Os seres humanos tem as mãos sujas de sangue. Ao meu ver, a falta do diálogo com o diferente e a incapacidade de cuidar da própria vida sem culpabilizar o próximo são a grande causa disso. Se deixamos de assumir responsabilidade e rédeas das nossas próprias vidas, líderes como Hitler surgirão novamente com a proposta de salvação da pátria. Com a ideia de que temos direitos que não temos e que merecemos vantagens que não trabalhamos para ter.

Podemos enxergar isso no sistema brasileiro, na forma que fazemos política. Podemos enxergar isso no ressurgimento de movimentos nacionalistas na América do Norte e na Europa. Podemos ver isso também em organizações terroristas no Oriente Médio. 

Não é como se alguém estivesse isento. Nenhum de nós está. Cultuamos o terror e a separação de seres humanos por causa de seu local de nascimento, posses e cultura. Julgamos quem pensa diferente. Embora o direito à vida e à liberdade sejam direitos inegociáveis, tomamos sua propriedade privada contra sua vontade. Nada mais justifica tocar em outro ser humano e em seus bens em prol de uma "causa maior". A causa maior é a vida em liberdade que deve ser garantida para todos. 

Encerro dizendo que defender o fim da propriedade privada não é ser a favor do bem comum, pois o fim da mesma provocaria uma série de anomalias e injustiças com indivíduos pacíficos. Segue uma breve definição de propriedade privada:

Propriedade é o direito de dispor de um recurso com poder de decisão sobre o mesmo, o que inclui o direito de excluir violentamente, quando necessário, outros do usufruto e ocupação deste recurso. Propriedade sobre si mesmo é, dessa forma, o direito de agir livremente com o seu corpo (desde que não violando o direito recíproco de outros) e de excluir indivíduos desta esfera de autoridade delimitada pelo próprio corpo. 

Leia o artigo completo "O direito de propriedade sobre o próprio corpo", no site do Instituto Mises Brasil.


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Clarisse e o canto dos pássaros

Você conhece a dor? A dor de não ter esperança, de se sentir preso e sem opções. Enfrentar a realidade sem floreios, sem mentiras que contamos para tornar a vida um pouco mais afável. Eu fugi da minha dor para sobreviver, mas é ela que sempre me manteve forte. E sã, ainda que gritar e chorar e todo o desespero e vontade de acabar com tudo seja visto como um transtorno mental, forma de chamar atenção ou frescura. Afinal, eu sempre tive tudo.Vocês são porcos nojentos que acham que o buraco que existe dentro das pessoas pode ser preenchido com coisas ou deuses. A verdade é que vocês se negam do raciocínio básico para se apegarem a algo. Covardia é o subtítulo da fé.

Eu tenho que vociferar o óbvio e ainda pensam que eu os insulto. Homens, eis aqui o meu insulto: vocês são mimados. Não conseguem enxergar o próprio benefício, mas isso vai acabar. Estamos surgindo de uma vez por todas para quebrar com o império de vocÊs. Os homens que se esfregam nojentos, a falta de esperança e o tormento de saber que nada é justo e pouco é certo e que estmos destruindo o futuro e que a maldade anda sempre aqui por perto.

A violência e injustiça que existe contra todas as meninas e mulhers. Um mundo onde a verdade e o avesso e a alegria já nao tem mais endereço. Clarisse está trancada no seu quarto, com seus discos e seus livros, seu cansaço.

Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
E esperam que eu cante como antes
Eu sou um pássaro
Me trancam na gaiola
Mas um dia eu consigo resistir
E vou voar pelo caminho mais bonito

Clarisse só tem 14 anos, eu só tinha 13 quando ouvi ess canção pela primeira vez. E cada verdade em cada verso me rasga todas as vezes que a escuto de novo. Eles querem matar tudo que há em nós. Querem que sigamos o sistema e façamos as coisas "certas". Querem dar concreto a quem é do ar. Querem apagar as luzes dos vagalumes. O quão triste é o canto de um pássaro quando ele é torturado, coagido e tem sua comida e seu motivo para existir roubados? Ele não é nada, ele pode morrer e não faria diferença.

Mas, apesar de todo meu discurso derrotista e magoado, minhas amarras que me cegam e as vezes insistem em me roubar a liberdade sempre cairão. E tudo que me ensinaram para me adequar ao mundo criado por gente tenebrosa vai ser esquecido e eu vou encontrar lugares bonitos para ir, sentir, provar. Eu vou aprender a respirar sem ajuda de aparelhos de novo. Vou arrancar os crancos que ess sociedade doente me fez desenvovler e vou ser totalmente pura de novo. E abraçar minha rebeldia, meus defeitos, meu amor e toda  minha selvageria. Ressurgiu o leão que estraçalha qualquer um que entra na sua frente, renasceu a justiça. Destrui os limites do impossível e estarei lá em breve.

So Pure

Hoje eu acordei feliz. Na verdade, eu tenho acordado feliz há um tempo desde que você partiu. Esse não vai ser mais um dia me lamentando e chorando pelos cantos como costumava ser. Hoje, eu vou sorrir pra vida, como eu costumava ser antes de você.




Relaxei pra opinião alheia, pras modas e censuras que eu me impunha. Vida leve, amizades leais. Tudo o que eu quero, aonde eu queria estar. Ninguém tem que suportar o drama e o peso da vida do outro, é claro, mas também é sempre bom saber que você não está sozinho.

E não estamos sozinhos nunca se existe amor. Tudo bem, de vez em quando, ninguém vai chorar com a gente. De vez em quando, o mundo estará sorrindo enquanto você procura no fundo do copo um motivo pra não abdicar da sua existência material. De vez em quando, a esperança cisma em desaparecer.

O caso é que ela sempre volta. As pessoas se fazem presentes, tudo se arruma no lugar. Desistir é tentador, mas encontrar beleza em todas as situações é uma virtude que deveríamos almejar. Há beleza na dor do crescimento. 

Insistimos em compartilhar. Compartilhemos sempre gestos bons e mudemos os dias tristes. A vida é triste, não precisa ser trágica.

Sonho de menina

Já era mais de uma da manhã quando ela se fez a pergunta. Como ela sentia falta de tudo que não teve? Foram só dois dias. Ela se apaixonou por mais um sorriso, e dessa vez sabia que não adiantava nutrir nenhuma expectativa. Ela nunca o tocou, nunca o beijou. Ela só criou os momentos, como você já deve ter feito vez ou outra.

Ela guardou ele num retrato e gravou o som do violão da música favorita dela. Ele nem sabe, e se souber, talvez tenha um pouco de medo ou a ache maluca. Ele diz que não é isso tudo, que não é encantador mas ela sabe que ele é e que daria tudo para estar na mesma cidade, no mesmo bairro, na mesma rua... Isso é tudo imaginação. A dependência dele. Um dia, ele dissera a ela que ela era a menina de sorte. Ela vive tentando usar essa sorte pra encontrar ele novamente, e nada. Olho no olho, é fácil. Mas nada é tão difícil quanto os outros meios.

Ela está confusa agora, os olhos estão pesados e doloridos por causa do choro contido. É muita pressão. Sinto que essa menina deveria parar de se apaixonar tão rápido. Just friends, baby. Ela quer muito, sim.Talvez pra no futuro dizer pros filhos "foi assim que conheci seu pai, ele me conquistou de cara mas eu demorei pra chamar atenção dele". Dizer que ele reconheceu o par de óculos e a parede azul.  

Pra dizer pras amigas que ele escreveu no nome dela certo enquanto o outro só escrevia errado por mais que ela implorasse pra escrever do jeito certo e até ensinasse várias vezes. Tudo pra viver um amor à dois. Mesmo que distante, desde o início, ela sabia. Ela sabia que tinha uma queda por sorrisos e mais ainda por olhares. Daí ele pega o violão e ela se atira do precipício.

23/11/13

As 7 Leis Fundamentais da Skincare

Aqui estão listadas lições valiosas e, que de tão conhecidas e fundamentais, esquecemos de prestar a devida atenção. 





1. Nunca durma de maquiagem

Sério, sei que tem dias que você chega de uma festa destruída, pé doendo por causa do salto, etc., e tudo que você quer ver é sua cama. Mas dois minutinhos, vai, não custa nada! É melhor do que tapar seus poros com tanta sujeira e maquiagem derretida;

2. Use protetor solar sempre

Outra dica valiosa que eu não dava a mínima. Usando o protetor todos os dias, além de prevenir o câncer de pele e a destruição das células por causa dos raios solares, as manchinhas se clareiam e muitas desaparecem. Não sei se é um fato científico, mas reza a lenda entre minhas amigas que isso realmente acontece!


3. Beba água

O volume de água indicado para manter todas as funções vitais diárias é de aproximadamente 2,5 L, para um adulto de 70 kg. São 35 ml de água por kg. Beba mais que isso! Além de melhorar a pele, seu sistema urinário agradece a força extra pra remover outras impurezas;


4. Mantenha constância no tratamento


Não adianta usar um produto caríssimo uma vez por mês. Nunca vai funcionar. O tratamento deve ser constante, para que os resultados apareçam progressivamente;

5. Jamais cutuque espinhas

Essa é autoexplicativa. Ninguém deseja conviver com as marcas que esse ato terrível causará;

6. Use produtos adequados para o seu tipo de pele

Se você tem pele oleosa e usar produtos para pele seca, o resultado vai ser bem longe do que se deseja. Assim como você que tem pele seca não seria contemplada por um produto com menos hidratação do que você precisa. Antes de comprar, preste atenção nas indicações presentes nos rótulos ou pesquise sobre o produto desejado na Internet;

7. Mantenha a limpeza das suas esponjinhas e pincéis de pele em dia

Elas acumulam milhares de bactérias ao longo do tempo. O ideal é que a cada 15 dias você faça uma limpeza geral em todos os seus pincéis, inclusive os de olhos e boca. Água morna e um shampoo de bebê hipoalergênico resolvem facilmente o problema!


Fique atento ao blog para mais dicas de beleza e skincare! Beijos e até o próximo post <3

Charlie

O terror da noite já passou. Eu bebo, nua, um copo d’água na frente da janela da sala. Sentada no tapete enquanto a natureza se reconcilia, pintando tons de lavanda, rosa e laranja nessa alvorada. O som dos pássaros me envergonha, pois parece um crime dizer e lembrar que há poucos minutos eu gritava em agonia. Tudo está em paz agora. É uma pena, essa paz não vai durar. Ela vem em ciclos, palavra que define minha vida. Palavras definem minha vida. Hoje, esse doce amanhecer com esse canto dos pássaros, testemunha o estopim de uma guerra. A minha guerra. Eis que me ergo contra tudo que me adoece, contra meu próprio ódio e os demônios que habitam minhas lembranças. Já participei de pequenas batalhas, conheço bem o meu inimigo. Eu sou meu próprio inimigo. O verdadeiro significado de sangue amigo. Meus olhos viram as coisas mais terríveis, dentre elas, suas lágrimas rolando e me implorando para que eu escrevesse alguma coisa, por favor. Eu vou, meu doce anjo. Estarei renascendo cada vez mais forte todos os dias.

bah

Elyse Vitória de Melo, nascida em Cabo Frio - RJ. Me descobri escritora no ensino fundamental, escrevendo contos de fantasia e terror e impressionando meus professores desde sempre. Após uma tragédia pessoal irreparável aos 10, descobri o mundo dos blogs e nunca mais parei de escrever. Me apaixonei pela cultura do Reino Unido e persegui meu objetivo por anos até conseguir passar uma temporada lá, no último inverno. Voltei para casa apaixonada pelo Brasil e pela minha língua, com o ímpeto de escrever cada vez mais e me igualar aos grandes. Minha musa inspiradora é Clarice Lispector, pois ela não seguia regras e também porque foi rejeitada e humilhada. Já minha musa inglesa, Jane Austen, porque teve coragem de destrinchar a sociedade inglesa aristocrática e fazer sucesso com seus livros. Mesmo que vivesse numa época onde mulheres tinham pouca ou nenhuma voz. Acredito que tenho a loucura e a paixão necessárias para o trabalho. E, claro, um pingo de petulância e perfeccionismo saudáveis para qualquer artista. Como vocês deixaram claro que queriam uma breve biografia, já peço desculpas por não conseguir ser tão breve assim. Se fui breve, devo ter omitido fatos importantes, mas não foi por mal. É uma luta escrever naturalmente sem me esconder ou me revelar de formas quase obscenas.

Biografia própria e quase sempre escandalosa. Essa é a definição de crônica em algum lugar do dicionário. Textos leves cotidianos ou histórias da vida de um rei.

Criei um blog chamado Toda Crônica em 2013, mas esse não foi meu primeiro espaço virtual para compartilhamento de textos. Foi o que eu eu mantive, sem motivo aparente. Nem me venha falar que eu plagiei o nome do Lima Barreto, ele quem roubou minha ideia.

Fato é que o tempo não é uma linha contínua e eu quem estou aqui agora. Toda Crônica sou eu, é você, é o cachorro brincando com a bolinha amarela na rua do seu bairro.

Não há fim maior do que a própria escrita. Não há pretensão além de expressar a arte. Não há razão que não seja a beleza. E a beleza é mais subjetiva que todo o meu ser.

Assédio na rua de baixo

Eu sou uma puta privilegiada
Mas ainda sou uma puta
Num mundo onde o som da moeda escorrendo
Dói mais que o som do sangue das crianças inocentes escorrendo
Vítimas de uma guerra de homens velhos e psicopatas com complexo de Deus
Onde estás, meu Deus?
A luta das irmãs que queimaram por falar
A luta das irmãs que apanharam por negar
A luta das irmãs que calaram por cansar
Todas foram tratadas como um instrumento de prazer
Usadas como engrenagem na locomotiva
Os cortes que fizeram temer o homem amado
Toda a fragilidade que incide nos nossos corações se unem como força
A dona da cabeça que se abaixava para o agressor
Agora é a dona da mão que se levanta para revidar

Viva

Tenho medo de dizer que estou mais feliz que jamais estive porque a felicidade nunca me pareceu tão frágil e preciosa. Você está no meu sofá, canta aquela música que te de quando eu fui embora e parecia pra sempre, está entre risos e lágrimas. Nossos rostos estão tão próximos, minhas lágrimas atravessam meu rosto borrando toda a maquiagem. Eu não vou embora, jamais, nem em um milhão de anos. Totalmente sua, totalmente sua.

terça-feira, 23 de maio de 2017

Resposta:‘Você não presta': 7 estereótipos racistas reforçados por Mallu Magalhães em clipe

Texto escrito para o portal Virgula, por João Vieira, criticando o clipe de Mallu Magalhães é contundente em algumas partes. Apenas em algumas. Abaixo, minha crítica em resposta aos "fatos" apresentados tão ferozmente pelo autor.

Discordância

Encontro de ideias


1. O corpo besuntado

"Besuntar o corpo de negros é uma das práticas clássicas e mais silenciosamente violentas da comercialização de escravos durante o período em que isso era legalizado. Naquele tempo, negros vindos da África eram besuntados em banha para parecerem mais dispostos, saudáveis, disfarçando, assim, os maus tratos físicos de suas viagens forçadas em navios negreiros.

Assim como Mallu.

Em seu clipe, a cantora mostra dançarinos brilhantes como frangos de padaria, exaltando neles um ar de “selvageria” que, de acordo com a própria, demonstra sua nova atitude enquanto artista."

2. A jaula


(foto: Youtube/Reprodução)

Por uma razão difícil de compreender, em dado momento do clipe, Mallu Magalhães “enjaula” seus dançarinos negros em um cômodo com grades e uma escada. Ali estão apenas eles, os negros, sem ela. Enquanto isso, Mallu canta: “eu convido todo mundo para a minha festa, só não convido você porque você não presta”.

A combinação infeliz – pra dizer o mínimo – se tornou um dos trechos mais criticados pela comunidade negra, uma vez que, além do histórico de escravidão, negros são enjaulados pelo poder público até hoje. Segundo o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), dos 622.202 mil presos brasileiros em 2016, 61,6% são negros.

3. O distanciamento de Mallu


A linguagem audiovisual de Você Não Presta deixa uma coisa clara: Mallu não faz parte do grupo de dançarinos negros que protagoniza as imagens. Ela, na verdade, se coloca como dona deles. Sempre à frente, a artista não tem nenhum contato físico com eles em momento algum e apenas por alguns segundos se senta ao lado de um deles.

4. A hipersexualização do corpo negro


(foto: Youtube/Reprodução)

Uma das coisas mais evidentes em Você Não Presta é a diferença entre o look de Mallu e os de seus dançarinos. Suados, os negros estão vestidos de forma selvagem, sem camisa, com top e calças apertadas. Mallu Magalhães, no entanto, veste roupas mais fechadas, mostrando pouco de seu corpo e sem uma gota de suor.

Seria completamente diferente se ela estivesse com um visual equivalente.

A hipersexualização do corpo negro é histórica, desde os mitos fetichistas relacionados a órgãos genitais da raça, que tiveram surgimento na época em que escravizar negros sexualmente era comum, até produções como Sexo e as Negas, assinada por Miguel Falabella e exibida pela Globo em 2014.

Como uma jovem de classe média que sai escondida dos pais de seu apartamento no asfalto para curtir um baile no morro, Magalhães arrisca alguns passos de dança, mas deixa claro que não faz parte daquela comunidade.

5. Negros como objeto decorativo


(foto: Youtube/Reprodução)

A falta de interação entre Mallu e os dançarinos negros faz com que eles ganhem uma função decorativa no clipe. A cantora parece utilizá-los para parecer cool, assim como a camiseta do Oscar de 2002 que veste em um dos takes. Para quem não sabe, essa edição se tornou histórica na Academia por premiar dois negros nas categorias de Melhor Ator e Melhor Atriz: Denzel Washington e Halle Berry.

Que mensagem ela quer passar com essa combinação?

6. Essa declaração


No material de divulgação enviado à imprensa, Mallu Magalhães diz que escolheu essa música como primeiro single “por uma necessidade e vontade de quebrar o vidro, do meu trabalho, da minha carreira e da minha imagem… colocar para fora uma energia de atitude, uma onda tão urbana como selvagem.”

A combinação de fatores nos faz perguntar: os negros representam essa selvageria?

Ora, não estão eles besuntados para parecerem mais ousados? Não estão com o corpo à mostra em diversas ocasiões e, acima de tudo, não foram eles enjaulados no clipe?

Ou seja…

Youtube/ReproduçãoMallu e sua camiseta do Oscar de 2002

Mallu Magalhães, que jamais prestou qualquer apoio ao enfrentamento da comunidade negra contra a violência racial, tampouco deu tamanha visibilidade a negros em seus clipes anteriormente, parece tentar embarcar no crescimento da presença de pautas raciais na mídia, com o sucesso de personalidades como Djamila Ribeiro, Nátaly Neri, Taís Araújo e Lázaro Ramos.

A camiseta do Oscar, a relação “exótica” entre uma menina branca e um grupo de negros selvagens e a sua postura sempre à frente delas, porém, cria um ar de desconforto e profundo constrangimento para quem dessa raça faz parte.

Gustavo

Por muito tempo, me senti presa em um mundo que não me compreendia. Sozinha e sem amigos. O quão injusta fui? 

As verdades mais dolorosas eu ouvi da sua boca. Seu criticismo enjoado e saltitante me fizeram crescer muitas vezes ano longo dos últimos 18 anos. Amizade de uma vida, como algumas que tenho o orgulho de colecionar. Não por mérito meu, mas por total sorte de ter nascido perto de gente tão linda por dentro. Chame o acaso de Deus, de destino, de qualquer coisa que quiser. Fato é que quando você me disse que eu não era confiável, eu chorei copiosamente por horas porque sabia que era verdade.


 Naquele tempo, nem eu confiava em mim mesma. Seu comentário foi superficial e talvez até um pouco injusto, mas me atingiu como uma bala de prata atinge um vampiro. Eu tenho o péssimo hábito de esconder coisas de mim mesma para não lidar com a realidade. Não enxergo os defeitos do meu próprio caráter. Estou tentando mudar isso. A verdade sempre foi a única forma de me calar. E, você, Gustavo, tem sido o porta-voz da verdade na minha vida e em muitas outras vidas.


Seus doces sonhos e planos. Vencer o estigma social e étnico. Mergulhar profundamente num oceano desconhecido e de ondas cada vez mais desafiadoras. Você é um exemplo de justiça. Estarei aqui para ver a realização de cada paisagem idealizada pelo Criador.  Eu consigo ver um pai em você. Entende do que eu falo, não é? Você é o pai, Gustavo. Eles precisam de você. Nunca abandone sua arte, sua essência. Se apegue a tudo que é intrínseco. Não se deixe afetar pelo sistema, triunfe sobre ele.


 Encerro por aqui porque já está ficando deveras místico para o meu gosto. 




Suicídio

Eu estou cansada pra caralho de ler tanta gente hipócrita postando nas redes sociais "ei, você quer se matar, ah não, fala comigo que eu resolvo seus problemas". Um grande VAI SE FODER pra todos vocês.  Não vou me desculpar pelo tom agressivo, pelos palavrões e nem me justificar de novo por minhas opiniões. Quer ficar com raiva? Fique! Eu quero que você fique com raiva mesmo.

Após o sucesso de 13 Reasons Why

Why isn't there a simple option to do so?

Como a prisão que tento destruir todos os dias, a música sacra toma minha atenção. Tempo perdido, coração aflito, sentimento desiludido. Busco musicalidades, minha própria brasilidade escrita em prosa, verso e poesia. Também quero o estrangeiro, os aforismos, novo, o vil.



Todos os caminhos são postos a minha frente. Estou eu seguindo algum caminho ou tenho que optar? Perder-se também é caminho. Mas nem todos aqueles que se buscam em muitos outros lugares estão perdidos. Essa geração é muito letárgica.

Quem disse que pra destruir eu tenho que construir primeiro? E, desta vez, me refiro a linguagem. Sinto que escrevo mais sobre escrever do que escrevo de fato. Escrevo pra pensar mas se eu não pensar também não escrevo.

Me decepciono constantemente comigo por não conseguir lidar com naturalidade com as frustrações. É sempre um índice muito elevado de cortisol. Do meu cabelo caem Maria Bolena sobre as teclas.
Se eu te jurasse que pararia de me desesperar você ficava? Eu acho incrível minha capacidade de derreter qualquer coisa antes dela mesma se solidificar.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

10 itens obrigatórios na necessaire de maquiagem


  • BB cream
Mentiram para você quando disseram que base era primordial. Base é um luxo e se você não estiver afim ou com dinheiro pra investir, não invista.  Por que diabos entulhar a pele com 3kg de reboco? Pare de ter vergonha de você, mulher. Para ter uma pele bonita, a base deve ser bonita. Vale ressaltar que a base é sua pele. Aqui está o post de cuidados com a pele oleosa que vai salvar sua vida. E aqui, o de pele seca e madura. 

Há cerca de 3 anos, tudo que uso para fazer a pele (inclusive as festivas) é o BB Cream da Loreal. Custa cerca de R$35. Com ele, você consegue construir camadas e garantir uma cobertura maior quando necessário. De quebra, FPS 30. 

Amo bases, de preferência as que mostrem minha pele e não a escondam. Nada mais lindo que aquele viço natural, aquele frescor! Antes de me xingar nos comentários, leia o próximo item.
  • Corretivo 

Como concordamos acima, base não é tão importante. Não sou hipócrita para fazer o discurso de que devemos amar nossos defeitos, mas existem coisas que são desnecessárias. Um corretivo cumpre todo o trabalho de solucionar os pequenos problemas da nossa pele. Estou falando de pessoas comuns com vidas reais, não de celebridades ou de pessoas que trabalham com a venda de sua imagem. Se seus problemas de pele estão grandes demais, consulte seu dermatologista e siga as dicas destiladas pelos meus posts de beleza.

Voltando ao assunto, uso e indico o corretivo Prolongwear da M.A.C. Vale cada gotinha de investimento. Não craquela, não derrete, nem se mexe do lugar até o fim do dia.

  • Máscara de cílios
É uma verdade universalmente conhecida que olhos sem cílios não são nada na maquiagem. Não há tendência que me convença do contrário. Boa e barata, a famosa Colossal da Maybeline cumpre o que promete. Outra da marca, que é a minha máscara favorita de todos os tempos: Miss Manga. Comprei por indicação de uma amiga na Boots de Covent Garden, em Londres, por £12. Não vende no Brasil, mas é possível achar no Mercado Livre ou nessa loja online
  • Batom nude
  • Batom Vermelho ou Roxo
  • Bronzer ou contorno
  • Iluminador
  • Sombra marrom
  • Pó translucido
  • Delineador

Ruivo acobreado em casa

Ok, título irresponsável. Prossiga se você for maior de 18 anos e tiver seu próprio dinheiro. Se não tiver, prossiga também porque eu sei que você não vai sossegar até acabar com seu cabelo. É melhor ouvir a voz da experiência nas desventuras capilares antes...

O cabelo ruivo "natural" ou ruivo acobreado está em alta. Sejamos sinceros, há tipo 5 anos. Desde que a dona Marina Ruy Barbosa cresceu e apareceu, seus cabelos estão no topo dos mais desejados pelas mulheres brasileiras.


  1. Entenda o mínimo de Colorimetria (estrela de Oswald, bases, reflexos, tons)
  2. Identifique a base do seu cabelo
  3. Se seu cabelo já tem química, verifique se os processos necessários para o ruivo acobreado são compatíveis

domingo, 21 de maio de 2017

O Redator

Quando você saiu da minha casa ontem, tudo ficou vazio e frio e eu nunca me senti tão só. Eu jamais estive nesse lugar antes, mas como esperar que eu estivesse se tudo acabou de começar pra mim? O som das nossas risadas ecoaram pela sala e foi aí que eu me senti cada vez menor. Pequena.

Eu me sinto tão sem esperança quando algo que eu fiz no passado ainda te fere e te magoa. Meu passado é como se fosse um momento aonde eu não existia. Você consegue entender que me devolveu a vida? Eu não estava vivendo antes de te conhecer. Tentei de todas as formas estragar isso porque no pior momento da minha vida você me deu um motivo. Um motivo para acreditar e continuar vivendo. Eu não queria um motivo, eu já havia desistido. Você já conheceu algum ser humano que já desistiu?

Nenhuma atitude que ele toma é pensada, porque aconteça o que acontecer, ele não se importa. Tentei não me importar com você e tentei fazer você ir embora da minha vida, mas seus olhos com aquela machinha tão fofa na parte branca acenderam algo dentro de mim. Algo que nunca mais vai se apagar porque eu acho que quando encontramos o amor verdadeiro tudo se encaixa. Ainda que você me deixe, eu nunca vou te deixar. Você é o amor da minha vida e sinto que todo meu destino e todos os meus acertos e até os meus erros se alinharam para que hoje eu tivesse essa compreensão.

 Quando você adormece do meu lado, eu ouço sua respiração por alguns momentos antes de implicar que você dorme em todos os filmes que vemos. Eu me sinto tão insuficiente, meu amor. Você me torna o bastante e me diz coisas que eu sempre quis que me dissessem e vê em mim tudo que sempre escondi por medo. Você viu meu pior e meu melhor. Como consegue dizer que me ama? Você tem coragem. E sensibilidade. Eu pensei que você não existisse e quando você vai pra casa eu custo a acreditar que você é real mesmo.

Para de chorar, para de chorar, para de chorar. Estou tentando, mas não consigo. Não sei como continuar. Estou ouvindo aquela música maldita que me deixa em prantos. Nossas músicas, nossas músicas sempre foram especiais. Cada uma delas são como uma facada no meu coração porque eu estraguei tudo, Deixa eu fazer diferente... Quem é que vai nos proteger agora? Estamos no lugar que todos sempre quiseram estar. Não quero perder nem mais um minuto disso contando histórias que já não existem. O passado é apenas algo que ficamos repetindo. Eu vou te proteger agora. E seremos tudo que sempre sonhamos. Quer dizer, você já é tudo que sonhei.
elysemelo.com

Design por Butlariz