domingo, 26 de fevereiro de 2017

eu tentei muito ficar

tenta correr, deixa pra lá

tenta fugir, sabe que não dá

ousa pensar, fingir que esqueceu

ousa beijar, fingir que não é meu

percebe tarde demais

que não é sagaz

pra achar uma boca

que te deixa louca

que te desfaz da oca

perturbação da cabeça

esqueça

você não tem mais lugar

não há casa pra você voltar

as chaves eu mudei

depois que esperneei

o tanto que eu falei

que esse momento ia passar

você não quis acreditar

que minha vida é esse mar

sou corrente de arrasto

eu me rasgo

e te trago

como se fosse um cigarro

na sua garganta, sou pigarro

no seu pulmão, erupção 

numa flechada, firo seu coração

amor de perdição

gargalhadas não seguro mais

você sempre foi incapaz

de compreender minha lírica

cansei de fazer tanta mímica 

sou métrica e modernidade

mas nunca se sabe quando vai bater saudade

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre.

elysemelo.com

Design por Butlariz