sábado, 20 de maio de 2017

Relacionamentos Tóxicos

Primeiramente, não se sinta culpado em fazer o que é melhor pra você. Ah, isso é egoísmo? Creio que não. Se você não for uma pessoa feliz, não poderá pensar no coletivo nem em fazer seus entes queridos felizes. Li isso no Livro de Dalai Lama com coautoria de Howard C. Cutler, um conceituado psiquiatra norte-americano, “A Arte da Felicidade“.



Logo no primeiro capítulo, intitulado “O direito à felicidade”, fica combinado entre o leitor e o autor do livro que a busca da felicidade pessoal não é negativa. Por tantos séculos, influência de filosofias diminuem o homem à um verme. Acabamos por absorver que não possuímos virtude. E, por não olharmos com amor para nós mesmos, nos submetemos à pessoas que também não nos olham com amor.

Pense nos seus relacionamentos. Quantas vezes você já brigou com um amigo próximo, por um motivo bobo, por um motivo que você não consegue identificar? Avalie suas responsabilidades nesse desentendimento. Aprendi com a vida que, às vezes, não temos culpa.

Ah, não vale jogar qualquer um que te contraria uma vez na prateleira dos “relacionamentos tóxicos”. Descontar no outro todo o estresse pode ser a única válvula de escape dela no momento. Não é bonito, mas você já olhou pra ela com olhos de carinho? Vai ver, é tudo que ela precisa. Um sorriso, uma palavra gentil.

Acrescento ainda uma frase que aprendi com a Monja Coen, referente a um antigo provérbio chinês: 

"Atenção ao que te incomoda, tens ali um mestre"


Mas, quando o ciclo se repete infinitamente ao longo dos anos, talvez seja a hora de repensar a presença da pessoa na sua vida. É duro ter que cortar pessoas do seu convívio quando existe afeto, mas queimar pontes é a única forma de seguir em frente.

Na minha vida pessoal, passei por isso uma vez. Não reconheci por oito anos que a presença de uma pessoa próxima e querida trazia dor e sofrimento. O afeto permanece, mas a influência da negatividade dela não existe mais. É um sentimento duplo de tristeza e leveza.

Se você pensa em se afastar de uma pessoa que se relaciona com você, tenha em mente as seguintes coisas:



  •  A pessoa não é toxica

Nenhum ser é completamente bom ou mau. O relacionamento é tóxico, mas a pessoa pode ser cuidada e reparada. Assim como sua eventual responsabilidade no conflito tem que ser admitida e reparada.


  • Converse com o ser humano na sua frente
Olhe nos olhos, tente mediar a situação. Fale francamente sobre seus sentimentos e sua visão do problema. Se todas as formas de diálogo foram esgotadas, exponha suas razões para se afastar. Ninguém merece acordar um dia e ver que seu melhor amigo te bloqueou no Whats App. 

  • Nada é para sempre

Ainda que conceber a ideia de viver sem a companhia de um alguém que você ama seja difícil, pense na sua saúde mental. Você não deve se destruir por ninguém, muito menos deixar que outros te destruam. Se alguém te prejudica, se afaste. Se afastar não é desistir ou descartar pessoas. É se dar um tempo de autoconhecimento, para que o tempo e o destino se encarreguem de separar ou juntar os caminhos em um melhor momento.

Por fim, desejo a vocês um belo dia. Espero que tenham gostado desse post e que seja útil. Comente sua opinião sobre o tema aí na caixinha de comentários. Namastê!
elysemelo.com

Design por Butlariz