quinta-feira, 25 de maio de 2017

Sonho de menina

Já era mais de uma da manhã quando ela se fez a pergunta. Como ela sentia falta de tudo que não teve? Foram só dois dias. Ela se apaixonou por mais um sorriso, e dessa vez sabia que não adiantava nutrir nenhuma expectativa. Ela nunca o tocou, nunca o beijou. Ela só criou os momentos, como você já deve ter feito vez ou outra.

Ela guardou ele num retrato e gravou o som do violão da música favorita dela. Ele nem sabe, e se souber, talvez tenha um pouco de medo ou a ache maluca. Ele diz que não é isso tudo, que não é encantador mas ela sabe que ele é e que daria tudo para estar na mesma cidade, no mesmo bairro, na mesma rua... Isso é tudo imaginação. A dependência dele. Um dia, ele dissera a ela que ela era a menina de sorte. Ela vive tentando usar essa sorte pra encontrar ele novamente, e nada. Olho no olho, é fácil. Mas nada é tão difícil quanto os outros meios.

Ela está confusa agora, os olhos estão pesados e doloridos por causa do choro contido. É muita pressão. Sinto que essa menina deveria parar de se apaixonar tão rápido. Just friends, baby. Ela quer muito, sim.Talvez pra no futuro dizer pros filhos "foi assim que conheci seu pai, ele me conquistou de cara mas eu demorei pra chamar atenção dele". Dizer que ele reconheceu o par de óculos e a parede azul.  

Pra dizer pras amigas que ele escreveu no nome dela certo enquanto o outro só escrevia errado por mais que ela implorasse pra escrever do jeito certo e até ensinasse várias vezes. Tudo pra viver um amor à dois. Mesmo que distante, desde o início, ela sabia. Ela sabia que tinha uma queda por sorrisos e mais ainda por olhares. Daí ele pega o violão e ela se atira do precipício.

23/11/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre.

elysemelo.com

Design por Butlariz