quarta-feira, 14 de junho de 2017

Aniversário

Em três dias, faço dezesseis anos. Não tenho nenhuma experiência em fazer aniversário já que ele só acontece uma vez por ano e passa tão rápido que acabo esquecendo, nos outros trezentos e poucos dias, qual é a sensação. Ano passado, alguns abraços e um almoço especial e no fim de semana depois uma festa. 
Por que ganhamos presentes nessa data tão subjetiva? Você é parabenizado porquê nasceu ou porquê ainda não morreu? Secretamente, sustento a ideia de quê as pessoas o fazem em memória aos que já se foram. Enquanto continuamos vivos e resistindo ao tempo, honramos os entes queridos que já não tem mais as mesmas "felicidades".
O que, de fato, é a morte? Grandes homens já tentaram a definir. Muitos já se encontraram com ela. Minha imaginação me conta que a Morte é como uma prostituta em uma noite fria do inverno europeu.
 Tudo é sem cor, até que pelas esquinas de uma rua qualquer da grande cidade cosmopolita chamada Vida, ela cruza seu caminho. A dama te conduz pelas vielas até seu castelo quente e sua alma se enrosca com ela na cama noite adentro. 
Celebraremos a vida, todos os anos, até o último aniversário. A estadia no castelo da sedutora dama da noite de frio não termina nunca. Uma vez vivo, morto se tornará. Uma vez morto, vivo nunca mais virá ser. 
Até que se prove o contrário. 

Escrito em 03/08/14

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre.

elysemelo.com

Design por Butlariz