sexta-feira, 23 de junho de 2017

Teresa Cristina canta Cartola

Em meio ao desespero de encarar o reflexo da minha alma perdida e das circunstâncias nada favoráveis para quem ama debates políticos e pluralidade de opiniões, chorei. Chorei amargamente, temendo que terminasse sozinha e sei que sozinha eu sucumbo e não tenho a coragem que recebo através do amor incondicional dos meus amigos.

Julgam-me, ah, eles estão rápidos em apontar sem conhecer. Não ouvem, nem um pouco, opiniões contrárias. É crime ter opinião. É socialmente ridicularizado aquele que não é marxista, que não dá a foda pra escola de Frankfurt, que destrói as falácias estatais a respeito do imposto. É crime exercer a liberdade. Para eles. Eu morreria pela liberdade. Daria minha vida para que outros fossem verdadeiramente livres, inclusive para discordar de mim. Não sou movida por ódio ao fulano tal, sou movida por justiça. Não me calarão. Jamais.

Lágrimas e maldições depois, dormi e acordei antes do sol nascer. Desde que o samba é samba, ele já nasceu em mim. A chuva bate levemente na janela, é manhã de sexta no meio de um junho frio. Mas meu coração se enche de calor com a voz de Teresa Cristina cantando canções consagradas por Cartola.

"Hoje, todos são contra mim..."


Num Brasil conturbado e propositalmente polarizado por movimentos políticos e sociais, ouvir uma Portelense cantar sobre a Mangueira (minha escola) e comentar com elegância que está cansada de tanta briga e quer  gentileza é um alívio. Não estou maluca. O melhor álbum de 2016. A música sempre foi nesse país, um símbolo de resistência contra os desmandos do Estado inescrupuloso que temos, contra o cinismo, contra discursos cegos e contra a falta de questionamento.

Teresa é sonho e minha mais recente descoberta. Já conhecia algumas músicas, mas só a "conheci" hoje ao ler parte de sua biografia e algumas entrevistas. Eu quero ser como ela quando crescer. Tenho muito o que crescer. Por agora, obrigada pela paz e pela calma que me transmitiu. Se sonhar é possível nesse sufoco, um dia cantarei um belo samba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre.

elysemelo.com

Design por Butlariz