segunda-feira, 17 de julho de 2017

Eli

Minha alma decadente, vítima de uma guerra perdida após uma batalha contra as lâminas do destino e das escolhas. Minhas costas cansadas por se curvarem perante ao inesperado, meus olhos ardidos e afundados em lágrimas. Eles me perguntam o que aconteceu e nem uma palavra sequer eu consigo proferir. O que era o alimento da minha alma virou pesar, tudo é pesar. Pelas minhas narinas o ar rarefeito já não cumpre seu caminho como deveria, tudo é difícil, até a tarefa mais natural e inerente ao ser. E embora eu veja um mundo novo recheado de oportunidades, sei que nunca vou fugir do meu próprio corpo. Nunca serei a outra pessoa que pensei construir há pouco. Não posso ficar e amar você. É muito menos do que eu deveria ser. Não posso partir do meu eu e isso é um dilema arrastado há centenas de anos. Ser parte disso, da dádiva do sentir como se eu estivesse levando um beliscão pelo lado de dentro onde tudo é desespero... Onde tudo já existe e muito ainda falta.
elysemelo.com

Design por Butlariz