sábado, 5 de maio de 2018

Ateísmo e Incredulidade: A Igreja falhou

"Jesus disse: Esta voz veio por causa de vocês, não por minha causa. Chegou a hora de ser julgado este mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo. Mas eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim." João 12:30-32



Eu nasci numa comunidade cristã protestante, com raízes presbiterianas e influência do movimento pentecostal dos anos 80 no Brasil. Eu cresci num ambiente cercado de fé, congressos, missões, contato com grandes pastores e líderes cristãos (tais como Pr. Luciano Subirá, Pr. Ari Caetano, Pr. Abe Huber, Pr. Ralf Fels, Pra. Liza Fels e inúmeros outros...), células, discipulado um a um e todo o pacote que encontramos nas congregações mais avivadas hoje.

Entretanto, desde meus 13 anos, passei por altos e baixos na minha fé. Sinceramente, mais anos em baixa do que em alta. Eu fui uma ateia assumida, uma crítica voraz da Igreja morta e hipócrita que vemos por ai, do Deus que não sai do seu trono soberano para ajudar as pessoas que morrem de fome, de sede e de doenças que elas não tem nenhuma culpa de ter.

Tu não és o Deus que cura? Por que matou meu avô de câncer? Tu não és o Deus que restaura? Por que a saúde da minha tia não foi restaurada antes de ela morrer por causa da anorexia? Você não é  auxílio sempre presente? Por que minha alma sangra, por que eu grito e você NUNCA me responde?

Esses são alguns dos questionamentos mais recorrentes que eu tive ao longo da minha adolescência. Eu tinha depressão, complexo de inferioridade, tomava ansiolíticos de forma despropositada, já pensei em suicido mais vezes o que meus dedos podem contar. Eu estava pedindo socorro e, não é como se meus líderes ou meus pais não pudessem enxergar isso.

Eu questionava Deus de uma forma tão natural e intrínseca que não compreendia quando as pessoas ficavam loucas comigo. Ninguém nunca me dava uma resposta. Ninguém nunca me ensinou apologética. Eu era um ser racional tentando compreender Deus de forma racional. Está escrito que pra se aproximar de Deus é preciso crer que ele existe. Como eu poderia me aproximar se eu não cria? Como eu poderia crer sem compreender e com tantas dúvidas?

A igreja falhou e falha com milhares de pessoas diariamente ao usar falácias, argumentos sem fundamento bíblico ou lógico e ao responder perguntas com ataques e acusações. Por que acusar e julgar uma pessoa que te questiona sobre a validade da sua fé? Por que menosprezar quem não consegue crer sem analisar fatos, sem pesquisa e ou profundidade no ensino? Por que não usar da honestidade intelectual, Igreja?

Se os próprios discípulos não creram em Maria Madalena, quando ela disse que o Salvador havia rescussitado, por que eu creria na sua experiência pessoal com o "mover" de Deus no culto? Se sua fé se baseia em ondas e moveres, não fale que o conhece. Mostre na Palavra.

Vocês sabem o que Cristo fez com um de seus mais chegados quando ele não creu?


"Tomé, chamado Dídimo, um dos Doze, não estava com os discípulos quando Jesus apareceu. Os outros discípulos lhe disseram: "Vimos o Senhor! " Mas ele lhes disse: "Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei". Uma semana mais tarde, os seus discípulos estavam outra vez ali, e Tomé com eles. Apesar de estarem trancadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: "Paz seja com vocês! "E Jesus disse a Tomé: "Coloque o seu dedo aqui; veja as minhas mãos. Estenda a mão e coloque-a no meu lado. Pare de duvidar e creia". Disse-lhe Tomé: "Senhor meu e Deus meu! "Então Jesus lhe disse: "Porque me viu, você creu? Felizes os que não viram e creram". Jesus realizou na presença dos seus discípulos muitos outros sinais miraculosos, que não estão registrados neste livro. Mas estes foram escritos para que vocês creiam que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus e, crendo, tenham vida em seu nome." João 20:24-31



Jesus fez Tomé tocar as feridas abertas nas suas mãos. Jesus se revelou à Tomé. Jesus não o repreendeu por querer tocar em suas feridas, por querer saber aonde ele estava se metendo. Jesus deu à Tomé o necessário para que ele cresse. E se o necessário para que incrédulos, agnósticos e ateus creiam for a resposta (ainda que não conclusiva) dos seus questionamentos, um irmão mais velho na fé não deveria julgar e sim levá-lo à palavra. Obviamente, com interpretação correta, outra disciplina da teologia que nos falta nos dias de hoje é a exegese.

Geralmente, as pregações acerca dessa passagem acusam Tomé de ser uma geladeira espiritual e, exaltam os cristãos dos séculos posteriores a ascensão de Cristo, apenas porque creram sem vê-lo. Ignoram também, que o último versículo da passagem diz que os sinais foram escritos para que nós crêssemos. Ninguém buscar ler algo se não lhe desperta dúvida ou no mínimo curiosidade. Deus queria apresentar um documento físico acerca dos milagres de Jesus e da legitimidade de seu ministério.

Como alguém que relativiza as escrituras, que estuda a bíblia em busca de conforto pessoal e promessas econômicas pode dar uma resposta bíblica para perguntas como: como o Universo foi criado? Por que Deus nos deu o livre-arbítrio mas não escolhemos se fazemos o mal ou o bem? Por que Deus se manifesta em três pessoas se ele não está refém de espaço-tempo? Quais são as evidências que temos quanto a existência de Deus?

Não há preparo nenhum na maioria das congregações cristãs protestantes para esse tipo de questionamento. Eu poderia ter perdido a minha alma por isso (eu me esforcei bastante pra correr de Cristo, para ser honesta). E deixo aqui uma crítica, para que haja conserto: pastores, parem de segregar as ovelhas de Cristo. Eles NÃO SÃO suas ovelhas. Você não pode simplesmente selecionar a profundidade de conhecimento a respeito da Palavra que você vai passar pra um membro da sua igreja apenas pelo critério de ele ser ou não LÍDER DE CÉLULA.

Aos que se encontram como Tomé: o plano de Deus inclui o fato de você ter dúvidas sobre sua existência. E ele já resolveu isso. Durante minhas últimas semanas, eu tenho experimentado essa provisão. Feche seus olhos e pergunte tudo a Ele, eu garanto que se você for sincero (ou desesperadamente gritar em prantos) você vai obter resposta, ainda que ela seja não. Porém, é necessário que você desça do seu palco. Dispa sua arrogância. Peça perdão, aceite a mensagem da Cruz se lançando nos braços dele.

Leitura sugerida: Encíclica papal de 1998, do Papa João Paulo II, Fides et Ratio.

Graça e paz.

Parte II aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre.

elysemelo.com

Design por Butlariz